O motor da motocicleta está fraco ou sem compressão. O que eu faço?

O motor da motocicleta está fraco ou sem compressão. O que eu faço?

11 de fevereiro de 2021 0 Por Eduardo Galli

Certamente, você já se deparou com algum amigo se queixando, ou até você mesmo de que o motor da motocicleta está fraco e falhando.

A verdade é que esse tipo de reclamação é bastante comum. Porém, muitas podem ser as causas dessa situação, o que requer do mecânico uma análise mais detalhada para dar uma posição ao cliente e partir para a correção, ou até você mesmo caso entenda um pouco sobre o motor de sua guerreira diagnosticar e encontrar a possível solução para o seu problema.

Por isso, pensando em ajudar você nessa avaliação preparamos este artigo para falar um pouco mais sobre o que pode deixar uma moto sem força.

Você confere, em detalhes, os principais problemas que podem deixar o motor fraco ou sem potência, entende como cada um deles pode impactar sua moto. Acelere até o conteúdo abaixo e ótima leitura!

Principais problemas que deixam o motor fraco nas motos

Como já dissemos, existem diversos problemas que podem deixar o motor fraco em motocicletas e gerar reclamações. Sejam eles problemas físicos, sejam de regulagem ou ajuste ou, até mesmo, desgaste de peças, eles podem causar insatisfação e colocar em risco os motociclistas.

Por isso, é interessante conhecer quais são os principais problemas que podem deixar o motor fraco e os sinais de que o problema está acontecendo. Com isso, fica mais fácil diagnosticar qual o defeito e oferecer a melhor solução.

Listamos abaixo alguns dos principais problemas, suas causas e alguns dos sinais a que você deve prestar atenção na hora do diagnóstico. Confira!

Junta de cabeçote ruim ou má vedação

A junta do cabeçote é o componente localizado entre o cabeçote e o bloco do motor. É responsável por vedar a passagem de gases durante o processo de combustão, além de evitar que o óleo se misture ao fluido de resfriamento.

Esse tipo de problema está, em grande parte, associado ao tempo de uso da motocicleta. É muito raro que motos mais novas e que passam por manutenções periódicas apresentem esse tipo de falha, que é mais complexa e exige mais gastos para ser solucionada.

Na prática, quando a junta do cabeçote está amassada ou má vedada, pode haver folgas, fazendo com que os gases vazem e, consequentemente, a pressão exercida pelo motor seja diminuída, assim como a compressão. Isso ocasiona um desajuste na solução ar/combustível que alimentaria o motor na hora da queima.

Em razão disso, pode haver também a queima de óleo, consequentemente expelindo fumaça negra — o que é um grande indicativo desse problema. A solução, nesse caso, é realizar o reparo na junta, quando possível, ou substituir os componentes defeituosos refazendo o cabeçote do motor.

Você deve estar atento sobre a importância de realizar o reparo na junta do cabeçote do motor, já que isso pode gerar tanto problemas de desempenho quanto causar multas de trânsito, caso a moto esteja emitindo poluentes acima do permitido por lei.

Volume desregulado do óleo no motor

Outro problema bastante comum e que pode gerar perda de potência em motocicletas, deixando o motor fraco, é a desregulagem do volume do óleo no motor. Esse problema pode ser causado tanto por um volume baixo quanto excessivo de óleo no motor.

No caso da operação do motor com volume de óleo abaixo do recomendado, é possível que as partes móveis não estejam sendo lubrificadas de forma eficiente. Isso dificulta sua movimentação e torna o desempenho do motor mais baixo.

Já em situações em que o motor está operando com volume excessivo de óleo, nos casos em que o óleo queimado está chegando à câmara de combustão através das válvulas, pode ser necessário realizar reparo no cabeçote.

Também é possível que o óleo do motor esteja regulado por chegar na câmara de combustão pelos pistões ou por pressão excessiva no cárter. Nesse caso, pode ser necessário desmontar o motor para seu reparo, realizando a retífica dos cilindros.

Anéis de vedação rompidos ou desgastados

Conforme já citado, os anéis de vedação são os componentes responsáveis por impossibilitar a passagem de gases e líquidos entre a câmara de combustão e o cárter do motor — local em que o óleo lubrificante se deposita.

Quando os anéis estão rompidos ou desgastados, o pistão — peça que se move dentro do cilindro do motor — não consegue exercer toda a pressão necessária, já que os gases internos acabam escapando inadequadamente por fendas.

Nesse sentido, essa perda de pressão é suficiente para alterar as condições de funcionamento do motor, gerando uma perda de potência e força que, a depender do caso, pode ser bastante considerável.

Para solucionar esse tipo de falha, é preciso fazer uma checagem visual nos anéis e, se for realmente o caso, realizar a substituição por peças novas para que danos maiores não ocorram no motor.

É importante também estar sempre atento a respeito da importância de realizar o reparo dos anéis de vedação caso seja necessário, já que o vazamento dos gases internos pode causar problemas consideráveis na atuação do motor, prejudicando sua operação e danificando as peças do mesmo.

Cabeçote trincado ou empenado

O cabeçote do motor, como dito, é a parte em que se acopla o motor e todos os seus componentes, sendo o responsável por conduzir a mistura ar/combustível que passa pelo bloco. Assim, qualquer trinca ou deformação nesse componente pode acarretar alterações nas condições de pressão do motor, interferindo no funcionamento ideal da moto.

Em certos casos, esse tipo de problema pode ser facilmente solucionado com reparos manuais. No entanto, como se trata de uma peça rígida e com características bem específicas, exigindo um nível de precisão bastante alto, pode ser melhor realizar a substituição completa. Afinal, em alguns casos, o reparo manual pode ser arriscado e não solucionar completamente o defeito.

Nesse tipo de problema, a avaliação profissional é fundamental para garantir a melhor abordagem a ser adotada. É interessante verificar também se existe possibilidade de reparo manual ou se é necessário realizar a substituição da peça. Isso visa a garantir a segurança e a viabilidade do reparo, solucionando o baixo desempenho e a percepção de motor fraco causada pelos problemas no cabeçote.

Bomba de combustível com pressão baixa

A bomba de combustível é o atuador responsável por bombear o combustível para o eletroinjetor quando se tratar de uma moto injetada. Quando a pressão da bomba está baixa — a maioria das motos funcionam normalmente com a pressão de 3bar —, a alimentação do sistema de combustão fica deficiente, deixando a moto sem força.

Nesse tipo de situação, o mais indicado é avaliar as causas da baixa pressão da bomba, que podem ser desde problemas elétricos até falhas na regulagem do atuador, desgaste do componente e entupimento dos canais em que circula o combustível.

A depender do caso, diferentes soluções podem ser encontradas, como a limpeza, o reparo no sistema elétrico, a regulagem ideal do atuador e, em casos mais graves, a própria substituição da bomba.

Para indicar qual a melhor solução, é interessante avaliar as condições da bomba de combustível, o tipo de problema e a existência de desgaste físico ou entupimento.

Nos casos em que existem problemas elétricos ou falhas de regulagem, é possível solucionar o problema de motor fraco realizando a correção deles e regulando corretamente o atuador. Mas, em situações de desgaste e entupimento, a substituição da bomba pode ser o melhor caminho a adotar.

Bico injetor sujo ou com defeito

O eletroinjetor tem a função de injetar o combustível, ou seja, liberar na pressão e em quantidade exata para o funcionamento do motor no momento.

Quando o bico injetor ou eletroinjetor apresenta alguma sujeira ou defeito, ele não libera a quantidade ideal para que o motor da motocicleta funcione adequadamente ou não pulveriza adequadamente o combustível na câmara de combustão, prejudicando a eficiência da queima.

Se esse é o caso, a solução pode estar na limpeza do bico, o que pode ser feito de maneira relativamente simples e barata na sua oficina. Por outro lado, caso o bico já tenha um tempo de uso considerável, pode ser melhor efetuar a troca, garantindo assim a durabilidade dos serviços .

Nesse ponto, destacamos a importância de não abastecer a moto com combustíveis de qualidade duvidosa, como em postos sem bandeira, e que não se sabe se realizam os testes necessários.

Esse tipo de conduta é uma das principais causas de problemas no bico e no sistema de injeção, visto que o combustível acaba contendo mais impurezas e, com o passar do tempo, obstrui o bico.

Além de prejudicar o desempenho da motocicleta e acarretar obstruções no bico injetor de combustível da moto, o uso de combustível de baixa qualidade prejudica outras partes do motor, já que pode conter produtos que desgastam as peças internamente.

Embreagem avariada ou desregulada

Outro problema que pode deixar a moto sem força é o desajuste ou avarias no sistema de embreagem. O que acontece é que ela, por qualquer motivo, pode não funcionar corretamente, mantendo-se parcialmente acionada quando a moto está em movimento, mesmo que o piloto não tenha puxado o manete.

Por exemplo, uma falha simples e que pode ser rapidamente corrigida é o ajuste do cabo que liga o manete até a alavanca que aciona a embreagem. Se esse cabo estiver excessivamente tencionado, pode acontecer de a embreagem ficar acionada parcialmente. Isso faz com que o motor perca sua força e o piloto sinta que, mesmo com o giro mais alto, o desempenho está ruim.

Por outro lado, podem ocorrer falhas mais graves na embreagem, seja por desgaste, seja por mau uso. Cada caso precisa ser cuidadosamente avaliado por você, mecânico, para que a solução mais adequada e econômica seja apresentada ao cliente.

Avarias no sistema de embreagem impedem que a motocicleta tenha desempenho adequado, mas também podem trazer riscos ao motociclista, já que elas podem acarretar dificuldade na operação e até mesmo impedir a aceleração correta.

Sujeira no filtro de ar

O filtro de ar também é uma das causas mais comuns de perda de força do motor. A obstrução desse componente, comumente ocasionada pelo excesso de pó e detritos do próprio ar que é aspirado para dentro da moto, pode alterar significativamente a qualidade da solução ar/combustível que será utilizada na hora da queima.

O que acontece é que, devido a essa sujeita depositada nos poros do filtro, a quantidade necessária de ar não consegue passar pela filtragem e chegar até a câmara de combustão. Como reflexo, se tem o que na linguagem mecânica é conhecido como mistura rica — muito combustível e pouco ar.

Isso causa alterações na qualidade da queima, acarretando uma taxa de compressão baixa e que não gera a potência ideal para o funcionamento do motor.

Dito isso, o que se pode fazer é uma limpeza no filtro de ar da moto, especialmente quando o cliente relata que passou por estradas sem pavimentação e outros locais onde havia terra, pois nessas condições é natural que o filtro fique sujo.

Além disso, como qualquer outra peça, o filtro de ar tem uma vida útil. Logo, é preciso substituí-lo quando se atinge um determinado tempo ou quando pela avaliação visual se constata que ele já está bastante comprometido.

Para garantir que sua Moto tenha uma longa vida útil, entenda a importância da troca do filtro de ar após o fim de sua vida útil, pois alem de tudo existem os prejuízos e riscos da operação do motor com o filtro danificado ou avariado.

Sons estranhos também podem indicar problemas

Ao sentir ou notar perda de força na sua moto, uma das primeiras avaliações que se deve fazer é quanto ao som emitido pelo motor. Como se trata de uma parte mecânica, ele tem um som característico quando está funcionando corretamente. Assim, caso algo errado seja notado, é hora de partir para uma avaliação mais profunda.

Nesses casos, os problemas mais corriqueiros quanto ao som diferente estão relacionados à embreagem ou ao sistema de transmissão, mais especificamente na correia dentada ou corrente de transmissão. Essa correia é a peça responsável por transferir a potência do motor para as rodas. Por isso, caso ela esteja frouxa ou seca, além de gerar um ruído a mais ao motor, também prejudica a transmissão, gerando perda de performance.

No mesmo sentido, a embreagem também pode originar sons estranhos. Como vimos, ela está associada à perda de potência. Então, é importante checar o que está causando o ruído. Pode ser que os discos estejam gastos ou a lubrificação esteja deficiente. Por fim, a peça pode ter se rompido devido ao desgaste.

O que você achou de saber mais a respeito dos principais problemas que deixam o motor fraco e entender as vantagens de efetuar uma manutenção preventiva.

Lembre-se a manutenção preventiva, sempre será MAIS BARATA que a corretiva!!!

image_pdfBaixe este Conteúdo em PDFimage_printImprima este Conteúdo